Concorrência barateará gasolina, diz Considera

O secretário de Acompanhamento Econômico do Ministério da Fazenda, Claudio Considera, acredita que a concorrência acabará pressionando os postos a venderem a gasolina mais barato, depois que o governo reduziu o preço do combustível nas refinarias. Mas até lá, ele recomenda que o consumidor procure os postos de abastecimento mais baratos. Em entrevista ao Bom Dia Brasil, da TV Globo, Cláudio Considera disse que já estão sendo encontrados locais onde a gasolina está com preço mais em conta. "Os donos dos postos não terão de reduzir sua margem de lucro; apenas manter a que eles tinham anteriormente. Eles trabalhavam numa margem de equilíbrio em dezembro; queremos que voltem a trabalhar com uma margem de equilíbrio em janeiro, reduzindo o que eles ganharam agora com a redução do preço da gasolina pelas refinarias", afirmou. A expectativa, segundo Considera, é que com a liberação da importação de combustível várias importadoras tentem colocar no mercado preços mais baratos do produto. Segundo ele muitas dessas importadoras vão montar no Brasil distribuidoras, aumentando ainda mais a concorrência.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.