finanças

E-Investidor: "Você não pode ser refém do seu salário, emprego ou empresa", diz Carol Paiffer

Condomínio: despesa com energia subiu 7,52%

Pesquisa divulgada pela Associação das Administradoras de Bens Imóveis e Condomínios de São Paulo (AABIC) revela que, de abril do ano passado a março deste ano, os gastos com energia elétrica nos condomínios residenciais subiram, em média, 7,52%. Já as despesas com o consumo d´água, embora tenham registrado queda de 2,49% no mesmo período, continuam sendo o segundo maior custo dos edifícios, perdendo apenas para a folha de pagamento dos funcionários. Juntos, água e luz respondem por 18,60% das despesas do condomínio, segundo a média dos últimos 12 meses. Para o presidente da AABIC, José Roberto Graiche, além do aumento das tarifas públicas, o desperdício de água e luz são os principais responsáveis pelo alto custo. Segundo ele, o problema maior é a água, pois o consumo dos apartamentos é rateado entre todos os condôminos. "Quem mora sozinho e fica pouco tempo em casa acaba pagando o mesmo valor que os demais moradores", afirma. Já o descuido com o consumo de energia elétrica ocorre, principalmente, nas áreas comuns. "Prevalece a cultura do ´não sou só eu quem paga´. O consumo só não é maior porque os síndicos buscam, cada vez mais, equipamentos que auxiliem na redução de custos, como sensores de presença e outros dispositivos inteligentes", observa Graiche.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.