finanças

E-Investidor: "Você não pode ser refém do seu salário, emprego ou empresa", diz Carol Paiffer

Condomínios abaixo da inflação em 2000

No ano passado, os custos com condomínio subiram, em média, 2,09%, frente aos 9,95% do Índice Geral de Preços do Mercado (IGP-M). O resultado faz parte da pesquisa da Associação das Administradoras de Bens Imóveis e Condomínios de São Paulo (AABIC). Segundo o Índice Periódico de Variação dos Custos Condominiais (Ipevecon), as despesas que mais subiram no ano passado foram os encargos sociais (11,14%), benefícios (11,69%), energia elétrica (10,60%) e manutenção (6,57%). Já os gastos com água e material de consumo caíram, respectivamente, 8,74% e 5,00%.Segundo o presidente da AABIC, José Roberto Graiche, os condomínios, agora, devem retornar aos patamares de setembro e outubro do ano passado, o que resultará em acentuada queda do Ipevecon. "As despesas com encargos sociais ainda deverão ser influenciadas, em janeiro, pelo recolhimento do Fundo de Garantia sobre o 13º salário, mas, mesmo assim, já sofrerão sensível diminuição", afirma Graiche.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.