Condomínios abaixo da inflação em 2000

No ano passado, os custos com condomínio subiram, em média, 2,09%, frente aos 9,95% do Índice Geral de Preços do Mercado (IGP-M). O resultado faz parte da pesquisa da Associação das Administradoras de Bens Imóveis e Condomínios de São Paulo (AABIC). Segundo o Índice Periódico de Variação dos Custos Condominiais (Ipevecon), as despesas que mais subiram no ano passado foram os encargos sociais (11,14%), benefícios (11,69%), energia elétrica (10,60%) e manutenção (6,57%). Já os gastos com água e material de consumo caíram, respectivamente, 8,74% e 5,00%. Segundo o presidente da AABIC, José Roberto Graiche, os condomínios, agora, devem retornar aos patamares de setembro e outubro do ano passado, o que resultará em acentuada queda do Ipevecon. "As despesas com encargos sociais ainda deverão ser influenciadas, em janeiro, pelo recolhimento do Fundo de Garantia sobre o 13º salário, mas, mesmo assim, já sofrerão sensível diminuição", afirma Graiche.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.