ALEX SILVA/ESTADÃO
ALEX SILVA/ESTADÃO

Confederação do varejo acredita que terceirização vai ajudar a criar empregos

Presidente da Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) disse que criação de vagas no setor está perdendo fôlego

Lorenna Rodrigues, O Estado de S. Paulo

13 Abril 2015 | 13h39


BRASÍLIA - O setor do varejo defendeu a aprovação do projeto de lei que amplia a terceirização da mão-de-obra. Para o presidente da Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL), Honório Pinheiro, a regulamentação pode ajudar a criar empregos, em um momento em que a abertura de vagas perde fôlego.

"Nós do setor de varejo somos a favor da terceirização. O Brasil precisa de segurança jurídica e isso passa pela regulamentação da terceirização", afirmou. 

Pinheiro frisou que o setor varejista passa por dificuldades devido à queda no crédito, na confiança dos consumidores e pelo aumento do medo do desemprego. Ele ressaltou que as lojas têm procurado alternativas, como oferecer um mix mais variado de produtos e mudar canais de venda. "Este certamente será um ano para bravos", completou. 

Para a inadimplência, a previsão da CNDL é que continuará em torno do patamar registrado em março até o fim do ano. No mês passado, houve um aumento de 3,76% no número de devedores, na comparação com março de 2014. 

Mais conteúdo sobre:
economiaterceirizaçãovarejo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.