Conferência aprova o "Consenso de Monterrey" para combate à pobreza

A Conferência Internacional sobre Financiamento ao Desenvolvimento, promovido pela ONU, no México, aprovou o "Consenso de Monterrey", uma iniciativa para combater a pobreza, com os países ricos prometendo tentar dobrar sua ajuda e os países pobres concordando em fazer mais com o que recebem. A Conferência de Monterrey é o primeiro encontro para discutir o combate a pobreza a reunir chefes de estado, ministros de finanças, líderes empresariais, ativistas de organizações de ajuda e instituções de empréstimos internacionais. Líderes de países pobres, da Tunísia a Venezuela, e de países ricos, da França aos EUA, todos concordaram que o terrorismo não será eliminado sem uma maior ajuda aos países pobres. Três bilhões de pessoas - metade da população do mundo - vive com menos de US$ 2,00 por dia. As medidas, que foram aprovadas meses atrás na ONU, foram adotadas por consenso no encontro realizado esta manhã. "Nós lutamos contra a pobreza porque a esperança é uma resposta ao terror", disse o presidente dos EUA, George W. Bush. O presidente da França, Jacques Chirac, disse que os líderes mundiais precisam comprometer os mesmos recursos para o combate à pobreza que dispensaram para o combate ao terrorismo depois dos ataques de 11 de setembro nos EUA. "O que pode ser feito contra o terrorismo pode certamente ser feito contra a pobreza, em nome de uma globalização mais humana e administrável", disse Chirac. "Vamos formar uma coalizão para construirmos juntos uma civilização universal onde exista um espaço para todos, onde todos são respeitados e onde todos têm uma chance", acrescentou. Contudo, os países doadores deixaram claro que estão esperando um retorno pelo seu dinheiro, dizendo aos países pobres que querem receber essa ajuda que primeiro devem combater a corrupção, fortalecer seus governos, estabilizar suas economias e trabalharem seguindo as regras da lei. O endereço oficial da conferência da ONU na Internet é www.un.org/esa/ffd. As informações são da Dow Jones.

Agencia Estado,

22 de março de 2002 | 19h44

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.