Confiança cai para nova mínima histórica na zona do euro

O índice de confiança dos empresários e consumidores nos 16 países que usam o euro como moeda caiu ainda mais e atingiu mínima recorde em janeiro. De acordo com levantamento da Comissão Europeia, o Indicador de Sentimento Econômico (ESI, na sigla em inglês) caiu para 68,9 neste mês, de um dado de dezembro revisado para 70,4.A leitura inicial do índice em dezembro era de 67,1, mas foi ajustada para refletir a entrada da Eslováquia na zona do euro. Economistas tinham previsto que em janeiro o índice cairia para 64,9, mas essa estimativa não levava em conta a inclusão do país. O dado de janeiro foi o menor desde que a Comissão iniciou a pesquisa, em janeiro de 1985.O subíndice de confiança da indústria caiu para -34, de -33 em dezembro, outra mínima histórica. Economistas tinham previsto -35. A queda na confiança do setor reflete a diminuição nas novas encomendas à indústria, incluindo as de exportação. A pesquisa trimestral da Comissão sobre a atividade industrial da região mostrou que a utilização da capacidade caiu para 75,2% no início de janeiro, de 81,6% no mesmo período de 2008. É o menor nível desde que a pesquisa começou a ser feita, em janeiro de 1990.O subíndice sobre as condições para se fazer negócios na zona do euro - o indicador de Clima de Negócios - caiu para -3,16, de -3,09 em dezembro, também uma mínima histórica. Analistas estimavam -3,60.O subíndice de confiança entre os consumidores caiu para -31, de -30, em linha com as expectativas. O índice reflete o medo de ficar desempregado. O subíndice de confiança nos serviços caiu para -22 em janeiro, de -17 no mês anterior. A confiança entre os bancos e outras empresas de serviços financeiros foi de -9 em dezembro para -22 em janeiro. As informações são da Dow Jones.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.