finanças

E-Investidor: "Você não pode ser refém do seu salário, emprego ou empresa", diz Carol Paiffer

Confiança da indústria cai para o menor nível em cinco anos

Índice sinaliza desaceleração da atividade econômica em novembro e disseminação de expectativas pessimistas

Alessandra Saraiva, da Agência Estado,

28 de novembro de 2008 | 08h21

O Índice de Confiança da Indústria (ICI), indicador-síntese da Sondagem Conjuntural da Indústria de Transformação, caiu 19,4% em novembro ante outubro, após registrar queda de 11,7% no mês passado, ante mês anterior, segundo informou nesta sexta-feira, 28, a Fundação Getúlio Vargas (FGV). De outubro para novembro, o indicador caiu de 104,4 pontos para 84,1 pontos, nos dados com ajuste sazonal. Esse foi o nível mais baixo do índice desde julho de 2003.   Veja também: De olho nos sintomas da crise econômica  Lições de 29 Como o mundo reage à crise  Dicionário da crise     Em comunicado, a FGV informou que a "a piora do ambiente de negócios, verificada em todos os quesitos que compõem o ICI, sinaliza desaceleração de atividade econômica em novembro e maior disseminação de expectativas pessimistas em relação aos próximos meses, no meio industrial."   De acordo com a FGV, ocorreu uma "mudança significativa na percepção das empresas em relação à demanda por produtos industriais". O porcentual de empresas pesquisadas para cálculo do indicador que consideram o nível atual de demanda como forte caiu de 17,9% em outubro para 4,6% em novembro. No mesmo período de comparação, o porcentual de empresas entrevistadas que avaliam como fraca a demanda atual aumentou de 12,5% para 29,4%.   Na comparação com novembro do ano passado, o ICI registrou queda de 30,2% nos dados sem ajuste sazonal - recuo bem mais intenso do que o registrado em outubro, no mesmo tipo de comparação (-12,7%).   O ICI é composto por dois indicadores. O primeiro é o Índice da Situação Atual (ISA), que caiu 22,2% em novembro após registrar queda de 7,7% em outubro na série com ajuste sazonal. O segundo componente do ICI é o Índice de Expectativas, que apresentou queda de 16,5% em novembro em comparação com o recuo de 10,9% em outubro, também na série com ajuste sazonal.   Na comparação com novembro do ano passado, nos dados sem ajuste sazonal, houve quedas de 30,4% e de 30,2%, respectivamente para o índice de Situação Atual e para o indicador de Expectativas, em novembro deste ano.   A FGV aproveitou ainda para atualizar os dados de queda referentes ao mês passado. O ICI, na série com ajuste sazonal, teria caído 9,2% em outubro ante setembro. Porém, o dado divulgado no mês passado para o índice era de queda de 11,7%. O levantamento para cálculo do índice foi entre os dias 3 e 26 desse mês, em uma amostra de 1.112 empresas informantes.   Pessimismo   A avaliação negativa das empresas em relação à demanda atual, aliada a um pessimismo em relação ao futuro dos negócios nos próximos meses, levou à queda de 19,4% no Índice de Confiança da Indústria (ICI) de novembro ante outubro, segundo a FGV.   Quanto às respostas relacionadas ao futuro, em relação aos próximos meses, 23,3% das 1.112 empresas consultadas em novembro prevêem melhora da situação dos negócios. Mas uma parcela maior, de 27,7% das companhias entrevistadas, aguardam uma piora. Em outubro deste ano, estes porcentuais, para essas mesmas respostas, eram de 38,1% e de 11,0%, respectivamente.   "Este é o pior resultado para este quesito da pesquisa desde dezembro de 1998, quando 23,6% das empresas previam melhora e 28,3% projetavam piora do ambiente de negócios", acrescentou a FGV, em seu informe.   Capacidade   O Nível de Utilização de Capacidade Instalada (Nuci) da indústria sem ajuste sazonal alcançou patamar 85,2% em novembro, após atingir nível de 86,3% em outubro. A FGV informou ainda que o Nuci sem ajuste sazonal atingiu em novembro deste ano o menor nível desde abril de 2008 (85,1%).   Ainda de acordo com a fundação, na série de dados com ajuste sazonal, o nível de uso de capacidade em novembro ficou em 84%, abaixo do Nuci de outubro nessa série (85,3%). Esse patamar de 84%, apurado para essa série em novembro, é o menor desde março de 2007, quando o Nuci atingiu 83,8%.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.