Confiança do consumidor brasileiro é a maior em dez meses

Melhora na situação econômica atual e expectativa para o futuro impulsionaram índice medido pela FGV

Alessandra Saraiva, da Agência Estado

25 de junho de 2009 | 08h23

O bom humor do consumidor parece ter retornado em junho. É o que revela o Índice de Confiança do Consumidor (ICC), que subiu 4,1% em relação ao mês anterior o alcançou o maior valor em dez meses, desde setembro de 2008. Segundo a Fundação Getúlio Vargas (FGV), foram determinantes a melhora na situação econômica atual e na expectativa para o futuro.

 

A confiança do consumidor, porém, ainda não alcançou os patamares do ano passado. Em comparação com igual período de 2008, o ICC foi 0,7% menor em junho e 10,9% pior em maio.

 

O ICC é dividido em dois indicadores: o Índice de Situação Atual (ISA), que teve alta de 5,3% em junho, e o Índice de Expectativas (IE), que apurou aumento de 4,4% esse mês. A porcentagem dos consumidores que avaliam a situação econômica atual como boa aumentou de 8,3% em maio para 10% em junho, e o número de consumidores que espera melhora à frente subiu de 28,3% para 30,9%.

 

A fundação revisou ainda a taxa do ICC de maio ante abril, de 1,3% para 2,2%. Com o resultado, o desempenho do indicador, que é calculado com base em uma escala de pontuação entre 0 e 200 pontos (sendo que, quando mais próximo de 200, maior o nível de confiança do consumidor), passou de 102,2 pontos em maio para 106,4 pontos em junho. 

Tudo o que sabemos sobre:
MACROBRCONFIANCA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.