Confiança do consumidor cai pela 1ª vez em 8 meses

Indicador da Fecomercio-SP cai influenciado pelo aumento dos preços dos alimentos e da taxa de juros

Ana Luísa Westphalen, da Agência Estado,

19 de maio de 2008 | 12h46

O Índice de Confiança do Consumidor (ICC) registrou a primeira variação negativa dos últimos oito meses, com queda de 1% no otimismo dos paulistanos em maio na comparação com o mês anterior, atingindo os 147,6 pontos. De acordo com a Federação do Comércio do Estado de São Paulo (Fecomercio-SP), o desempenho teve influência do aumento dos preços dos alimentos e da taxa de juros, que encarece os financiamentos.  Veja também:Entenda a crise dos alimentos  Em relação a maio de 2007, o índice teve elevação de 16,2%. O indicador varia de 0 a 200 pontos, mostrando pessimismo abaixo de 100 e otimismo acima desse patamar. Segundo a pesquisa, houve piora nas avaliações tanto em relação ao presente quanto ao futuro. O Índice das Condições Econômicas Atuais (ICEA) registrou resultado negativo de 1,4% em relação a abril, e ficou em 155,3 pontos - o primeiro recuo do índice neste ano -. Na mesma base de comparação, o Índice de Expectativas do Consumidor (IEC) apresentou queda de 0,7% e alcançou 142,4 pontos. Na segmentação por faixa de renda, a queda mais expressiva foi verificada entre consumidores com ganho superior a 10 salários mínimos: Tanto o ICEA quanto o IEC registraram variação negativa de 2,2% e atingiram, respectivamente, 160,7 pontos e 149,4 pontos. O ICC para esse grupo também registrou retração de 2,2%, situando-se em 153,9 pontos.  Já a parcela dos consumidores com renda abaixo do patamar de 10 salários mínimos registrou queda de 0,8% no ICEA (para 152,5 pontos) e variação positiva de 0,5% no IEC (para 138,8 pontos). O ICC recuou 0,1% para 144,3 pontos.

Tudo o que sabemos sobre:
Consumidor

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.