Confiança do consumidor da Alemanha cresce e surpreende--GfK

A confiança do consumidor da Alemanha subiu inesperadamente em julho devido à melhora nas expectativa de renda, mas preocupações com a crise da zona do euro ainda podem prejudicar o consumo nos próximos meses, mostrou uma pesquisa do instituto GfK, divulgada nesta terça-feira.

SARAH MARSH, REUTERS

26 de junho de 2012 | 07h54

Outros dados recentes sugerem que a maior economia da Europa está perdendo força uma vez que medidas de austeridade e preocupações sobre a crise afetaram o investimento e as exportações.

O indicador do sentimento futuro do consumidor, entretanto, subiu para 5,8 para julho, ante 5,7 em junho, impulsionado por um salto nas expectativas de renda de 32 para 40,1. A leitura superou a estimativa de 24 economistas de queda para 5,6, segundo uma pesquisa da Reuters.

Mas os consumidores mostraram-se mais pessimistas com as perspectivas para a economia alemã, com a leitura de expectativa caindo de 16,6 para 3,0, o menor nível desde dezembro de 2011.

"Claramente, os consumidores temem cada vez mais que a Alemanha também seja arrastada ainda mais para a espiral de queda (da zona do euro)", disse o GfK em comunicado. "Até agora, entretanto, os cidadãos veem os perigos do exterior exclusivamente para a economia em geral e menos para sua própria situação pessoal."

A Alemanha teve crescimento econômico durante a maior parte da crise da dívida soberana, superando outros países. No primeiro trimestre de 2012, a economia cresceu 0,5 por cento, eliminando temores de recessão após ter encolhido 0,2 por cento no final de 2011.

O consumo privado foi dos principais fatores que conduziu o crescimento e deve subir 1 por cento em termos reais no ano, disse o GfK, confirmando sua previsão anterior.

"Crescentes números de emprego, assim como acordos melhores de salários em comparação com anos anteriores, estão permitindo que as expectativas para mais desenvolvimento da renda subam", disse o GfK.

"Além disso, a pressão inflacionária aliviou recentemente...os consumidores veem que seu poder de consumo se fortaleceu com isso."

Tudo o que sabemos sobre:
MACROALEMANHACONFIANCA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.