Confiança do consumidor da zona do euro cai mais que o previsto em julho

Dado preliminar indica que os consumidores não devem aumentar os gastos nos próximos meses

Sergio Caldas, da Agência Estado,

23 de julho de 2012 | 11h45

LONDRES - A confiança do consumidor nos 17 países que usam o euro piorou em julho, provavelmente refletindo preocupações maiores com o futuro da zona do euro.

A Comissão Europeia informou hoje que sua estimativa preliminar de confiança na região caiu este mês para -21,6, de um número revisado de -19,8 em junho, ficando bem abaixo da média registrada até a década de 1990, de -12,8, e abaixo também da previsão dos analistas, de -20,0. A piora do índice sugere que é improvável que os consumidores da área aumentem os gastos nos próximos meses, mais um fator a pesar contra o crescimento da região.

A CE não forneceu maiores detalhes do que teria causado a deterioração da confiança, mas crescem os temores em relação à perspectiva econômica da zona do euro, cujos países membros lidam com a desaceleração do crescimento e alta do desemprego em meio aos programas de austeridade.

Ao longo de julho, a Espanha buscou ajuda da União Europeia e do Fundo Monetário Internacional para sanear seus bancos, enquanto os custos de financiamento da Itália cresceram.

Além disso, o Chipre também solicitou auxílio financeiro para seus bancos, que foram fortemente afetados pelos problemas da Grécia. Em Atenas, o governo grego negocia com dificuldades um pacote de medidas econômicas e orçamentárias que conquiste o apoio da UE e do FMI, gerando temores de que o país talvez não consiga permanecer na zona do euro. As informações são da Dow Jones.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.