Confiança do consumidor de SP cai em fevereiro

O otimismo dos consumidores paulistanos registrou ligeira retração em fevereiro em comparação com janeiro. O índice que mede as intenções de consumo da população, medido pela Federação do Comércio do Estado de São Paulo (Fecomercio-SP), caiu 3,9%. Em relação a fevereiro de 2002, o índice teve elevação de 5,5%.O recuo do otimismo em fevereiro já era esperado pela Fecomercio em razão da concentração de despesas em janeiro (impostos, matrículas e materiais escolares). Em janeiro, 24,78% dos entrevistados tinham mencionado o cenário político favorável como o de melhor expectativa futura. Na pesquisa de fevereiro, este porcentual caiu para 20,95%. Também foi registrada piora com relação ao ambiente internacional: a avaliação negativa passou de 8,5% para 10,13% e a positiva caiu de 7,33% para 6,17%. Em contrapartida, a pesquisa mostrou que o brasileiro está mais confiante quando a questão é o desemprego. O porcentual dos entrevistados que acreditam na tendência de queda passou de 6,33% para 9,78%. O contingente dos que apostam na alta permaneceu estável. Apesar dos aumentos de preços no mês passado, o tópico que mede a impressão sobre a queda ou elevação da inflação ficou estacionado.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.