Ações

Empresas de Eike disparam na bolsa após fim de recuperação judicial da OSX

Confiança do consumidor de SP fica estável em agosto

O consumidor paulistano segue acreditando na recuperação da economia brasileira e seu otimismo se equipara ao do período anterior à recessão. É o que apontou hoje o Índice de Confiança do Consumidor (ICC) de agosto, divulgado pela Federação do Comércio do Estado de São Paulo (Fecomercio-SP). O indicador, que apresentava trajetória de alta desde abril, ficou estável em agosto, equiparando-se à marca de 139,8 pontos registrada em julho. Em setembro de 2008, período anterior ao agravamento da crise internacional, o índice estava em 139,9 pontos.

GUSTAVO URIBE, Agencia Estado

12 de agosto de 2009 | 12h46

O balanço da Fecomercio-SP trabalha com uma escala de zero a 200 pontos, indicando pessimismo abaixo de 100 pontos e otimismo acima desse nível. O retorno da confiança do consumidor é atribuído pelos economistas a fatores que revelam que o País se recupera bem da recessão, com a redução de juros, a recuperação parcial do emprego e a reativação do mercado de crédito. "É razoável dizer que o ICC já reflete uma recuperação do otimismo no comportamento recente dessas variáveis relevantes para o desempenho da economia brasileira", afirma o economista Thiago Freitas.

O indicador da Fecomercio-SP é composto por dois índices: pelo Icea, que determina a pretensão dos consumidores em relação à situação atual, e pelo Iec, que revela a percepção dos consumidores em relação à situação futura. O primeiro deles obteve em agosto alta de 0,9% ante julho, atingindo 131,6 pontos. Em contrapartida, o Iec teve queda de 0,6% no mesmo período de análise, registrando 145,2 pontos. Os resultados dos dois índices se equilibraram em agosto, o que não gerou variação no indicador geral. O ICC é apurado mensalmente pela Fecomercio-SP desde 1994. São ouvidos 2.100 consumidores no município de São Paulo.

Tudo o que sabemos sobre:
confiançaconsumidorFecomércio-SP

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.