Confiança do consumidor deve-se à melhoria financeira

A melhora na avaliação da situação financeira das famílias foi um fator que influenciou fortemente a alta no Índice de Confiança do Consumidor (ICC) de dezembro, que subiu 5,2% ante novembro. A informação é da Fundação Getúlio Vargas (FGV).Em comunicado, a instituição esclarece que, o porcentual de pessoas pesquisadas que avaliam como boa a situação financeira familiar subiu de 15,5% em novembro para 21,9% em dezembro. No mesmo período, a parcela dos pesquisados que a classificam como ruim caiu de 14,4% para 12,2%.A FGV informou ainda que a melhora nas expectativas do consumidor, fator que também contribuiu para o bom resultado do ICC em dezembro, foi influenciada pela boa perspectiva de compra de bens duráveis. "A proporção de consumidores que prevêem gastar mais subiu de 20,5% para 25,1% enquanto a dos que prevêem gastar menos reduziu-se de 23,7% para 18,1% (de novembro para dezembro)", esclareceu a fundação, em comunicado.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.