Confiança do consumidor é a pior desde setembro de 2007

Índice cai 7% ante março devido a pioras tanto na avaliação do cenário atual quanto do futuro, diz FGV

Reuters,

24 de abril de 2008 | 08h18

A confiança do consumidor brasileiro deteriorou-se em abril, devido a pioras tanto na avaliação do cenário atual quanto do futuro, segundo pesquisa da Fundação Getúlio Vargas (FGV) divulgada nesta quinta-feira, 24. O índice caiu 7% sobre março, para 112,4 pontos, registrando a pior leitura desde setembro do ano passado. Em relação a abril de 2007, por outro lado, houve alta, de 6,3%. O componente de situação atual declinou 5,9% mês a mês. Já o de expectativas caiu 7,5%.   Veja também:    Desemprego cai a 8,3% e renda real cresce em março  Renda cresce em março, mas não recupera perdas  BC destaca risco de inflação e pode continuar a subir juros   A avaliação feita pelos consumidores a respeito da situação econômica da cidade em que residem piorou. Segundo a FGV, a parcela dos entrevistados que a consideram boa diminuiu de 19%, em março, para 15,5%, em abril. Já o porcentual dos que a avaliam como ruim subiu de 25,5% para 29,8%. Outro fator que contribui para a queda do ICC foi o menor entusiasmo do consumidor em relação às compras de bens duráveis, nos próximos meses. Segundo a FGV, a queda de 7% do ICC em abril ante março é a mais intensa de toda a série histórica mensal do indicador, iniciada regularmente em setembro de 2005. De acordo com a FGV, de março para abril, a parcela dos entrevistados que prevêem gastar mais nos próximos seis meses reduziu-se de 24,4% para 12,7%. No mesmo período, o porcentual de pesquisados que prevêem gastar menos aumentou de 19,8% para 24,1%. A sondagem é feita em mais de 2 mil domicílios das sete principais capitais do País e foi realizada entre 1 e 21 de abril.

Tudo o que sabemos sobre:
Confiança do consumidorFGV

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.