Confiança do consumidor na economia cai 13,1% em setembro

A confiança do consumidor na condução da economia sofreu uma queda de 13,1% para 109,5 pontos numa escala de zero a 200 pontos, segundo o Índice de Confiança do Consumidor (ICC) da Federação do Comércio do Estado de São Paulo (Fecomercio-SP). Esta é a primeira vez que o ICC fica abaixo dos 110 pontos. No entanto, a taxa ainda é considerada otimista por ter situado acima dos 100 pontos. Os técnicos da Fecomercio-SP destacam ainda que "diferentemente do mês passado, quando a queda foi puxada pela variação negativa da expectativa futura, em setembro o consumidor se mostrou menos otimista tanto em relação ao presente quanto no que se refere ao futuro". A piora na confiança dos consumidores é atribuída pela Fecomercio-SP ao ambiente político desfavorável. Presente e futuro A confiança do consumidor do Estado de São Paulo em relação ao futuro da economia ainda se mantém em setembro em um patamar mais elevado que a percepção do presente, numa proporção de 113,5 pontos contra 103,6 pontos, respectivamente. O índice obedece a uma escala de zero a 200 pontos, sendo que as percepções acima de 100 pontos são consideradas otimistas e abaixo, pessimistas. Os economistas da entidade ressaltam que a diferença entre a percepção futura e presente da economia vem diminuindo ao longo dos últimos meses, "à medida que a esperança de um impulso econômico mais vigoroso não se concretiza e que a crise política não dá sinais de arrefecimento". Também o alto grau de endividamento da população, aliado aos juros altos, prejudica o poder de consumo e corrói a renda, afetando o ânimo do consumidor, avaliam os economistas da Fecomercio.

Agencia Estado,

13 Setembro 2005 | 12h25

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.