Coluna

Thiago de Aragão: China traça 6 estratégias para pós-covid que afetam EUA e Brasil

Confiança do consumidor paulistano sobe 0,3% em abril

Destaque do índice foi o crescimento das expectativas em relação às condições atuais da economia 

Francisco Carlos de Assis, da Agência Estado,

18 de abril de 2012 | 12h14

SÃO PAULO - O Índice de Confiança do Consumidor (ICC), divulgado nesta uqarta-feira, 18, pela Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (Fecomercio-SP), registrou alta de 0,3% em abril. Com esta ligeira expansão, o ICC saiu de 164,4 pontos em março para 165 pontos em abril. A escala vai de 0 a 200 - e a marca de 100 pontos é a divisória entre otimismo e pessimismo.

O índice da Fecomercio-SP tem dois subitens. O Índice de Condições Econômicas Atuais (Icea) registrou crescimento de 0,5% de março para abril, passando de 162,4 para 163,2 pontos. Segundo os analistas econômicos da entidade, o destaque do Icea foi o avanço de 2,8% na confiança dos consumidores com renda mensal superior a dez salários mínimos. Os consumidores com 35 anos de idade ou mais, no entanto, mostraram-se desconfiados: o otimismo desta faixa etária em relação aos rumos da economia caiu 1,6%.

Já o Índice de Expectativa do Consumidor (IEC) cresceu 0,2% em abril, atingindo 166,2 pontos depois de ter ficado em 165,8 em março. Neste indicador, o ponto marcante é a assimetria verificada entre as classes de gênero: enquanto a confiança dos homens em relação ao futuro da economia recuou 1,7%, a percepção entre as mulheres cresceu 2,4%.

No geral, segundo os economistas da federação, a evolução do ICC em abril reflete as melhoras no cenário doméstico, sustentadas pelos elevados níveis de massa salarial e segurança em relação ao emprego. 

Tudo o que sabemos sobre:
Confianãconsumidor

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.