finanças

E-Investidor: "Você não pode ser refém do seu salário, emprego ou empresa", diz Carol Paiffer

Confiança do consumidor se mantém estável em outubro

O otimismo do consumidor da capital paulista se manteve estável em outubro, em relação ao mês anterior, conforme o Índice de Confiança do Consumidor (ICC) divulgado nesta quarta-feira pela Federação do Comércio do Estado de São Paulo (Fecomercio-SP). O ICC, que varia de 0 (pessimismo total) a 200 (otimismo total), registrou 132,1 pontos neste mês, que indica pequena alta de 0,4% comparado a setembro. O resultado de outubro se mostra inferior ao melhor resultado do ano até o momento, de 138,7 pontos, verificado em maio.O dado, coletado com aproximadamente 2.100 consumidores, aponta estabilidade quanto às condições econômicas atuais e futuras. Na avaliação da Fecomercio-SP, os paulistanos não se deixaram influenciar pelo clima de eleições. "Mesmo no contexto de um período eleitoral, o resultado reflete o quadro econômico estável. O conjunto de indicadores (inflação, câmbio, oferta de crédito e taxa de juros) atravessa um período de tranqüilidade, sem perspectivas de crises", avaliou o presidente de Fecomércio, Abram Szajman.Do outro lado, o Índice de Condições Econômicas Atuais (ICEA) sofreu queda de 1,4% em relação a setembro, ficando com 123,4 pontos. O ICEA mede o grau de otimismo do consumidor em relação ao presente. No entanto, o Índice de Expectativas do Consumidor (IEC), que indica percepção do consumidor quanto ao futuro, obteve alta de 1,5% em contraponto ao mês passado, atingindo 137,9 pontos.Os números divulgados nesta quarta-feira pela Fecomercio-SP, revelam ainda, pelo segundo mês consecutivo, que a confiança dos consumidores é maior entre homens (alta de 2,8%) e consumidores abaixo de 35 anos (avanço de 2,2%). O otimismo também é maior entre aqueles com renda inferior a 10 salários mínimos. Nesta faixa de renda, o IEC apontou alta de 6,1%, comparado a setembro, com registro de 141,5 pontos. Já o ICEA, se manteve estável com queda de 0,6%.Entre os que ganham acima de 10 salários mínimos verifica-se cautela maior. Nesta faixa de renda, o IEC caiu 6,8%, indo a 130,9 pontos, e o ICEA recuou 2,3%, com registro de 122 pontos.

Agencia Estado,

18 de outubro de 2006 | 13h46

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.