Confiança do consumidor sobe 1,1% em julho

De acordo com a FGV, o otimismo em relação à atual situação impulsionou a alta do ICC

Sabrina Valle, da Agência Estado,

22 de julho de 2010 | 08h15

O bom humor do consumidor em relação à atual situação da economia impulsionou a alta de 1,1% no Índice de Confiança do Consumidor (ICC) de julho, contra mês anterior, segundo informou a Fundação Getúlio Vargas (FGV) nesta quinta-feira, 22. A entidade acrescentou que esta boa percepção do brasileiro quanto à situação da economia também já tinha sido observada nos dois meses anteriores.

O ICC apresentou uma alta de 2,0% em junho, ante mês anterior. Com o resultado, o desempenho do indicador, que é calculado com base numa escala de pontuação entre 0 e 200 pontos (sendo que, quando mais próximo de 200, maior o nível de confiança do consumidor), foi de 118,7 para 120,0 pontos, de junho para julho.

De acordo com a fundação, a parcela de consumidores entrevistados que avaliam a situação econômica atual como boa aumentou de 23,8% para 25,3% de junho para julho. No mesmo período, a parcela dos entrevistados que a consideram ruim caiu de 24,9% para 20,3%.

A fundação informou ainda que, em julho, aumentou o otimismo do consumidor quanto ao futuro da economia do país. A parcela dos consumidores pesquisados que apostam em melhora na situação da economia nos próximos seis meses reduziu-se de 28,8% de 28,6%; mas a dos que preveem piora diminuiu de 10,3% para 8,1%.

Ainda segundo a fundação, o ICC subiu 8,3% em julho, na comparação com igual mês em 2009. No mês passado, o indicador nesta comparação avançara de forma mais intensa, com alta de 10% ante junho de 2009.

O levantamento abrange amostra de mais de 2.000 domicílios, em sete capitais, com entre os dias 30 de junho e 19 de julho de 2010 deste ano. 

Tudo o que sabemos sobre:
confiançaconsumidorfgvjulho

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.