Renda extra

Fabrizio Gueratto: 8 maneiras de ganhar até R$ 4 mil por mês

Confiança do consumidor tem alta de 7,1%

Indicador cresceu em setembro em relação a 2015, mas segue abaixo da média histórica

Anne Warth, O Estado de S.Paulo

08 de outubro de 2016 | 00h03

BRASÍLIA - A confiança do consumidor melhorou em setembro, de acordo com levantamento realizado pela Confederação Nacional da Indústria (CNI). O Índice Nacional de Expectativa do Consumidor (INEC) subiu 1,1% no mês passado em relação a agosto e chegou a 103 pontos. O indicador registrou alta de 7,1% ante setembro do ano passado, mas ainda está abaixo da média histórica, de 108,9 pontos.

Segundo a CNI, o consumidor está mais otimista em relação à inflação, desemprego e situação financeira, mas as expectativas em relação à renda pessoal pioraram em relação ao mês anterior.

Entre os itens que compõem o indicador, o índice de expectativas sobre a inflação aumentou 3,6% em setembro na comparação com agosto.

Em relação ao mês de setembro de 2015, a alta é de 21,1%, o que reflete uma melhora na preocupação do consumidor em relação à evolução dos preços. As expectativas em relação ao desemprego subiram 2,4% ante agosto e 14,8% na comparação com setembro de 2015.

Endividamento. Também houve melhora no índice de expectativas em relação ao endividamento, com aumento de 2,7% relativamente a agosto e 6,5% ante setembro de 2015, e no indicador de expectativas sobre a situação financeira, que subiu 3,1% ante agosto e 8% ante setembro do ano passado.

Em relação a agosto, pioraram as expectativas do consumidor em relação à renda pessoal e compras de maior valor, com queda de 2,4% e 0,9%, respectivamente. Na comparação com setembro de 2015, a expectativa para a renda pessoal teve alta de 7%.

O único item que registrou piora na comparação com setembro de 2015 foi de compras de maior valor, com queda de 2,7%. Entre as compras de maior valor estão automóveis, eletrodomésticos e móveis.

O levantamento foi realizado entre os dias 20 e 25 de setembro em 143 municípios do País, em parceria com o instituto de pesquisa Ibope. Ao todo, 2.002 pessoas foram entrevistadas.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.