Confiança do consumidor tem queda em janeiro

O consumidor brasileiro está menos confiante. Levantamento da Associação Comercial de São Paulo (ACSP), elaborado pela Ipsos Public Affairs, mostra que o Índice Nacional de Confiança (INC) caiu sete pontos - de 141 pontos em dezembro de 2006 para 134 em janeiro deste ano. A queda, pelo segundo mês consecutivo, já verificada entre novembro e dezembro (quando caiu de 145 pontos para 141), revela um comportamento mais inseguro do consumidor. O índice, no entanto, ainda é quatro pontos superior com relação ao mesmo período de 2006, quando marcou 130 pontos.Para o presidente da ACSP e secretário estadual do Emprego e Relações do Trabalho, Guilherme Afif Domingos, o desemprego e o endividamento continuam sendo fatores na justificativa da queda da confiança. "A confiança do consumidor na situação econômica e financeira pessoal ainda se mantém em nível elevado, favorecendo as compras de eletrodomésticos, mas mantendo certa cautela na aquisição de bens de maior valor", afirmou.No levantamento por região, a Norte/Centro-Oeste, onde o índice subiu de 146 pontos em dezembro do ano passado para 151 pontos em janeiro deste ano, foi uma exceção em comparação com as demais, que registraram queda de confiança em comparação com o mês anterior. Na região Nordeste o índice ficou em 123 pontos, ante 136 em dezembro, e na região Sudeste ficou em 148 pontos, ante 152. Já a região Sul se mostrou a menos otimista, com queda de doze pontos - de 113 em dezembro para 101 em janeiro.Sobre as perspectivas para o futuro, o levantamento aponta que para 41% da população brasileira pesquisada, a situação econômica de sua região para os próximos seis meses vai continuar forte, contra 14% que estimam o contrário. O INC indica, também, que 45% dos entrevistados dizem ser favoráveis à compra de produtos eletroeletrônicos para casa, como geladeira e fogão, nos próximos seis meses. Entretanto, para compras de imóveis e automóveis a situação se inverte: 38% dos entrevistados sinalizaram que não pretendem efetuar essas aquisições.A confiança do brasileiro na manutenção do seu emprego caiu de 47% para 45%, no período em análise (janeiro de 2007 em comparação com dezembro de 2006). Mas a insegurança do emprego aumentou ligeiramente de 23% para 26% nos últimos três meses. Na comparação dezembro ante janeiro, o índice subiu de 25% para 26%.O INC é calculado com base em mil entrevistas realizadas em 70 cidades, que inclui nove regiões metropolitanas brasileiras.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.