Werther Santana / Estadão
Werther Santana / Estadão

Confiança da indústria cai pelo 4º mês seguido, mas segue elevada

Levantamento da CNI indica que empresários do setor continuam otimistas; reforma da Previdência é citada como medida importante para a recuperação da confiança

Eduardo Rodrigues, O Estado de S.Paulo

20 de maio de 2019 | 15h36

BRASÍLIA - O Índice de Confiança do Empresário Industrial (Icei) caiu pelo quarto mês consecutivo, de acordo com a Confederação Nacional da Indústria (CNI). Em uma escala na qual valores acima de 50 pontos significam otimismo, o indicador caiu de 58,4 pontos em abril para 56,5 pontos neste mês. 

"Apesar dessa sequência de quedas, a confiança do empresário ainda pode ser considerada elevada. O Icei permanece distante da linha divisória de 50 pontos, 1,0 ponto acima do registrado em maio de 2018 e 2,0 pontos acima da média histórica do indicador", avaliou a CNI no documento. 

A componente do Icei que mede a avaliação dos empresários sobre as condições atuais da economia e de seus negócios recuou 2 pontos em maio, de 49,8 pontos para 47,8 pontos, ampliando a percepção negativa do atual momento do País. 

Já o otimismo para os próximos seis meses também diminuiu. A componente de expectativas caiu de 62,6 pontos para 60,8 pontos em maio. Segundo o economista da CNI, Marcelo Azevedo, o ICEI estava em um patamar elevado devido ao otimismo que é comum no começo de novos governos.  

"Agora passamos por um momento de reavaliação, já que os empresários estão percebendo mais dificuldades nesse início de ano em relação à avaliação feita no fim de ano", destacou. "O andamento da reforma da Previdência seria muito importante para uma recuperação da confiança e poderia sinalizar o andamento de outras reformas também importantes, como a tributária, que teria efeitos mais imediatos na economia", completou. 

Notícias relacionadas

    Encontrou algum erro? Entre em contato

    O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.