Ações

Empresas de Eike disparam na bolsa após fim de recuperação judicial da OSX

Confiança do investidor estabiliza ativos em dólar, diz Geithner

Secretário do Tesouro dos EUA assegura que o mercado do país é forte em liquidez e oferece estabilidade

Nathália Ferreira, da Agência Estado,

14 de outubro de 2009 | 14h07

O secretário do Tesouro dos EUA, Timothy Geithner, procurou reafirmar a solidez dos ativos em dólar e disse a uma revista de negócios chinesa que os investidores estão confiantes de que os EUA podem manter o crescimento econômico.

 

Veja também:

linkDólar pode chegar a R$ 1,60, prevê ex-presidente do BC

especialUm ano após auge da crise, economia se recupera

especialAs medidas do Brasil contra a crise

especialDicionário da crise 

especialComo o mundo reage à crise

 

"Nosso interesse é em tentar assegurar que tanto os investidores norte-americanos quanto os globais saibam que os mercados dos EUA são fortes em liquidez e oferecem estabilidade", afirmou ele em entrevista à revista Caijing.

 

Na entrevista concedida durante os encontros do Fundo Monetário Internacional e do Banco Mundial, em Istambul, o secretário do Tesouro disse que os investidores mostraram confiança na capacidade de Washington de manter crescimento sustentável e essa confiança ajudou a estabilizar o valor dos ativos em dólar, relatou a revista.

 

Importantes autoridades chinesas demonstraram preocupação com o valor de suas posições em Treasuries, aumentando as especulações de que o dólar continuará caindo e seu status como moeda principal de reserva vai diminuir.

 

"O papel do dólar vem com fardos especiais e responsabilidades que exigem que sejamos especialmente cuidadosos em sustentar a confiança nos ativos financeiros dos EUA", afirmou Geithner.

 

Os EUA precisam provar que podem equilibrar a sustentabilidade e o déficit orçamentário elevado, disse o secretário à revista, acrescentando que a melhor maneira de atingir esse objetivo é restaurar o sistema financeiro e encorajar um setor privado saudável.

 

Sobre a reforma financeira, Geithner afirmou que ele estava "no geral, otimista", mas acrescentou que "obviamente, estou preocupado com a falta de um ímpeto de reforma depois da recuperação econômica". As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
dólarTimothy Geithnerinvestimento

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.