Confiança dos investidores não depende de acordo, diz Palocci

O ministro da Fazenda, Antonio Palocci Filho, disse hoje acreditar que a confiança do mercado financeiro no governo Luiz Inácio Lula da Silva não depende de um novo acordo com o Fundo Monetário Internacional (FMI). "O mercado tem mostrado confiança no governo brasileiro, independentemente do acordo com o Fundo", afirmou o ministro. Segundo ele, o que dá credibilidade ao governo brasileiro é o cumprimento da agenda proposta no início do ano. ?Se a agenda for cumprida, a credibilidade é muito grande, se não for cumprida, não é. Como está sendo cumprida, a credibilidade está crescendo", argumentou. Apesar das insistentes perguntas sobre possíveis detalhes de um novo acordo com o FMI, o ministro foi curto e objetivo: "Detalhamento só haverá se houver um acordo". A diretoria do FMI deve divulgar, ainda hoje, um comunicado, em Washington, sobre a aprovação da quarta revisão do acordo com o Brasil. Recursos liberadosO Brasil sacará cerca de US$ 4 bilhões nesta penúltima parcela do empréstimo do Fundo. Em novembro, o País terá direito a um último saque. Considerando a cotação de hoje dos Direitos Especiais de Saque (DES) - a "moeda" do FMI - a última parcela do empréstimo ao Brasil será de cerca de US$ 7,7 bilhões.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.