Confiança econômica aumenta na zona do euro em agosto

Pesquisa mostra que a confiança nos 16 países da região subiu para 101,8 pontos, após leitura de 101,1 em julho 

Clarissa Mangueira, da Agência Estado,

30 de agosto de 2010 | 07h34

Os consumidores dos 16 países da zona do euro se tornaram mais otimistas sobre a perspectiva para a economia e menos receosos de perderem seus empregos em agosto, o que levou a uma retomada da confiança na região.

De acordo com a pesquisa mensal da Comissão Europeia, o índice do sentimento econômico (ESI, na sigla em inglês) aumentou para 101,8 em agosto, de 101,1 no mês anterior, marcando o terceiro mês consecutivo de crescimento. A leitura ficou em linha com as projeções dos analistas.

A alta sugere que a economia da zona do euro continuará a crescer nos próximos meses.

A medida principal da confiança do consumidor subiu acentuadamente, de -14 em julho para -11 em agosto. A Comissão Europeia tinha previsto na semana passada uma alta para -11,7, enquanto os economistas esperavam uma leitura de -12.

O índice de confiança industrial ficou inalterado em -4 em agosto, em linha com as previsões. Os indicadores de confiança dos setores de varejo e construção também não mostraram alteração, permanecendo em -4 e -29, respectivamente.

O índice de confiança do setor de serviços subiu para 7 em agosto, de 6 em julho.

A pesquisa trimestral da Comissão Europeia dos produtores de manufaturas mostrou que as fábricas da zona do euro estavam operando com 77,4% da capacidade em julho, um aumento em relação aos 75,5% em abril e o maior nível de capacidade utilizada desde o quarto trimestre de 2008.

O índice de clima para negócios - uma medida separada do ambiente para os produtores de manufaturas da zona do euro - recuou para 0,61 em agosto, de 0,63 no mês anterior.

O índice do sentimento econômico da Alemanha e da França subiu em agosto, enquanto o da Itália registrou queda, puxado pelo enfraquecimento da confiança do consumidor e das empresas no país. O ESI da Grécia aumentou pelo terceiro mês consecutivo, conduzido pela recuperação da confiança do consumidor. Embora o índice esteja em 67,9, ele continua bem abaixo da média de longo prazo de 100.

O índice do sentimento econômico da Espanha se recuperou da queda registrada em julho, mais uma vez refletindo uma melhora significante da confiança do consumidor espanhol. O índice de Portugal recuou, no entanto, puxado pela queda da confiança do setor de serviços e de varejo.

Nos 27 países da União Europeia, o sentimento econômico também melhorou em agosto, com o ESI do bloco apresentando elevação para 102,7, de 102,1.

O ESI do Reino Unido subiu pelo terceiro mês seguido, com o fortalecimento da confiança do consumidor e de todos os setores da economia.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.