finanças

E-Investidor: "Você não pode ser refém do seu salário, emprego ou empresa", diz Carol Paiffer

Confiança no comércio de SP tem mínima desde 2011, diz FecomercioSP

A confiança dos comerciantes paulistas no mês passado caiu ao piso desde março de 2011, quando a Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (FecomercioSP) iniciou o levantamento, informou a entidade nesta sexta-feira.

REUTERS

05 de setembro de 2014 | 13h35

O indicador bateu 98,3 pontos, na escala de zero (pessimismo total) a 200 pontos (otimismo total). O recuo foi de 0,3 por cento ante julho e de 10,8 por cento ante agosto de 2013.

Para a assessoria econômica da federação, a alta dos juros e a inflação ainda persistente inibem a intenção de compra do consumidor e a expectativa de comerciantes. Foi a sétima queda consecutiva do indicador.

Empresas com até 50 funcionários foram as responsáveis pelo recuo da confiança. Já companhias com mais de 50 empregados tiveram aumento.

A diferença entre grandes e pequenos se deve a ajustes nos estoques, projeções, quadro de funcionários e até da folha de pagamentos, em geral feita mais rapidamente pelas maiores, explicou a FecomercioSP, em nota.

"A tendência é que nos próximos meses o quadro negativo se mantenha para as empresas de menor porte", previu a entidade.

(Por Aluisio Alves; s)

Tudo o que sabemos sobre:
VAREJOCONFIANCACOMERCIO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.