bolsa

E-Investidor: Itaúsa, Petrobras e Via Varejo são as ações queridinhas do brasileiro

Confiança no mercado brasileiro fica prejudicada

O sentimento na Europa em relação ao mercado brasileiro é de instabilidade e insegurança quanto aos rumos que poderão tomar a economia do Brasil, afirma o consultor financeiro Pierre Perelmuter. Perelmuter é brasileiro, vive em Bruxelas há 20 anos e presta consultoria sobre os investimentos em papéis brasileiros a diversos bancos e empresas da Bélgica. Atualmente, é também empresário do setor imobiliário na Europa. O sentimento de insegurança está refletido na prática com o que aconteceu aos papéis brasileiros na última semana, quando os ativos do País se aproximaram dos níveis registrados nos piores momentos de 2001. "A instabilidade é gerada pela previsão de uma possível eleição de Lula, confirmada pela falta de programa econômico do candidato do Partido dos Trabalhadores (PT)", afirma Perelmuter. Segundo ele, "os nossos candidatos deveriam ter consciência dos reflexos internacionais que qualquer declaração possa causar. Parece estapafúrdio o que vou falar, mas vivemos um momento tão delicado, que os candidatos Lula e Serra deveriam se reunir para o bem do Brasil e pelo menos, acertarem um consenso sobre as declarações em mercado externo", sugere Perelmuter.O consultor contextualiza sua sugestão com a queda de 4% dos C-Bond, principal papel da dívida brasileira, além da queda do índice Bovespa em 3% e da alta do dólar, que chegou a subir mais de 2%, batendo a maior cotação desde primeiro de novembro do ano passado, R$ 2,668 na venda, quando o pico foi de R$ 2,80, em 22 de setembro.Segundo Perelmuter, há 10 dias, existia um clima "simpático" em relação a uma possível vitória de Lula, mas, com o passar do tempo, "o candidato não consegue dar segurança aos investidores internacionais e os fatos estãos aí para comprovar que a qualidade do papel brasileiro caiu no mercado".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.