Conflito com Nogueira Batista derruba Melin, da Fazenda

O conflito com o representante do Brasil no Fundo Monetário Internacional (FMI), Paulo Nogueira Batista Júnior, provocou a queda do secretário de Assuntos Internacionais do Ministério da Fazenda, Luiz Eduardo Melin. Fontes do Ministério da Fazenda informaram que o ministro Guido Mantega, insatisfeito com os atritos entre os dois sobre a velocidade da reforma no sistema de representação dos países emergentes no FMI, decidiu retirar Melin da Secretaria de Assuntos Internacionais (Sain) e levá-lo para a chefia de gabinete do ministério. Marcos Galvão, atual chefe de gabinete de Mantega, ocupará o cargo de Melin.O Ministério da Fazenda não confirma oficialmente a dança das cadeiras na pasta, mas a troca de funções deve ocorrer já em janeiro. A divergência entre Melin e Nogueira Batista sobre as mudanças no sistema de cotas dos países foi noticiada pelo jornal O Estado de S. Paulo na edição de terça-feira. A reportagem informa que o representante brasileiro no Fundo estaria causando rusgas no organismo multilateral pelo seu estilo ?abrasivo? e, por causa das divergências, não falaria mais com Melin. Pela decisão, o sinal é de que Mantega se alinha com a posição de Nogueira Batista e quer uma reforma mais rápida no FMI. Apesar das críticas ao estilo do representante brasileiro no FMI, Melin também não se mostra dono de grande serenidade. No trato com a imprensa, não se mostra cordial e em seu período de pouco mais de um ano à frente da Sain concedeu raras entrevistas, mostrando-se mais refratário aos jornais do que o seu antecessor Luiz Pereira. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.