'Conforto é uma palavra proibida'

O tom de voz da presidente Graça Foster alterou-se na entrevista coletiva ao ouvir a palavra 'conforto', empregada por um repórter em uma das perguntas. "Aqui ninguém trabalha com conforto de absolutamente nada. Conforto é uma palavra proibida entre nós", disse. E acrescentou: "Trabalhamos sob total desconforto. Quem se sentir confortável, a gente tem que rever, ok? Aqui é desconforto 365 dias por ano, 24 horas por dia."

O Estado de S.Paulo

26 de junho de 2012 | 03h11

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.