Confusão marca início da greve dos bancários

O início da greve dos bancários foi marcado por confusão e confrontocom a Polícia Militar. Por volta das 10h, piqueteiros se desentenderamcom policiais em frente ao Bradesco na rua boa Vista, centro financeirode são Paulo. Marco Antonio do Amaral, diretor do sindicato dos Bancários, foi detido. Sindicalistas tentam fechar agências em São Paulo. Na foto, Marcos Antonio do Amaral (camisa verde), sindicalista e funcionário, sendo preso após tentar impedir a entrada de funcionários na agência do BradescoDurante a manhã, por volta das 7h30, também houve confusão em frente à Nossa Caixa, no centro. O bancário Dirceu Travesso, que foi candidato do PSTU à Prefeitura de São Paulo, também foi detido.No final da manhã desta quinta-feira, policiais cercaram o Bradesco paragarantir a entrada de quem quer trabalhar. O banco conseguiu na JustiçaUm "interdito proibitório", medida que impede a ação de piqueteiros nasImediações.Ontem à noite, os bancários decidiram entrar em greve por campanha salarial a partir de hoje. Apenas em Brasília, Rondônia, Roraima e Florianópolis (SC), os trabalhadores decidiram não paralisar, conforme balanço da Confederação Nacional dos Bancários (CNB) divulgado após a realização de assembléias em quase todo o Brasil.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.