Coluna

Thiago de Aragão: China traça 6 estratégias para pós-covid que afetam EUA e Brasil

Congonhas, um bônus às regionais

O ministro Moreira Franco determinou a redistribuição dos slots do aeroporto mais cobiçado do país: Congonhas. A ideia é de favorecer as empresas com operações regionais para aumentar a capilaridade do transporte aéreo, e, assim, justificar os investimentos de R$ 7 bilhões em 270 aeroportos. Precisamos atender a muito mais do que as 125 cidades atuais, mas há grande dificuldade em operar esses destinos. O governo decidiu dar um bônus às empresas que voam para o interior na forma de slots em Congonhas.

Jorge Leal Medeiros, O Estado de S.Paulo

11 de julho de 2014 | 02h01

A Azul, a maior operadora de voos regionais, será a grande beneficiária. A empresa é a única a operar aviões brasileiros, fato que certamente a ajudou. Mas as duas grandes - TAM e Gol - resistirão a ceder seus slots. Será natural que elas se voltem ao mercado regional, ou ainda, que comprem uma empresa menor, como a Passaredo, praticamente a única de vulto que sobrou. A TAM, que tem DNA regional, será candidata?

*Jorge Leal Medeiros é professor da USP e ex-diretor da Vasp e da Varig

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.