Congresso aprova PL que abre crédito suplementar de R$ 28 milhões

Congresso aprova PL que abre crédito suplementar de R$ 28 milhões

Reunidos desde a manhã desta terça-feira, congressistas analisam destaques ao Orçamento de 2017; PEC da DRU deve ser votada nesta quarta-feira

Rachel Gamarski, O Estado de S.Paulo

23 de agosto de 2016 | 21h02

BRASÍLIA - Em mais uma tumultuada sessão do Congresso Nacional, deputados e senadores aprovaram nesta terça-feira, 23, um Projeto de Lei (PL) que abre crédito suplementar de R$ 28,069 milhões. Os congressistas evitaram inverter a pauta para votar a Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) após os vetos, já que precisavam também aprovar os créditos suplementares e ficaram com medo de um esvaziamento da sessão. 

Neste momento, os parlamentares apreciam a matéria que abre aos Orçamentos Fiscal e da Seguridade Social da União, em favor de diversos órgãos do Poder Executivo, crédito especial no valor de R$ 10,560 milhões. Em seguida, o PL 5 abre crédito suplementar de R$ 1,908 bilhão para reforçar dotações constantes da LOA de 2016. 

A ideia é que outros créditos sejam aprovados para que, em seguida, a LDO passe a ser discutida. O presidente do Congresso, senador Renan Calheiros (PMDB-AL), disse que o projeto já tem 16 destaques. Para agilizar a votação, há uma expectativa de que esses destaques sejam votados em globo, ou seja, de uma só vez. 

DRU. O presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), admitiu que a votação da proposta de emenda à Constituição (PEC) que recria a Desvinculação das Receitas da União (DRU) pelo plenário da Casa ficará para esta quarta-feira, 24. A matéria não foi sequer apreciada pelos senadores, uma vez que o Congresso, também presidido por Renan, reúne-se desde o fim da manhã para votar vetos presidenciais e o projeto a revisão da meta fiscal de 2017. Com isso, não deverá haver tempo hábil, ainda hoje, para votar a PEC da DRU. 

O ministro do Planejamento, Dyogo Oliveira, visitou Renan para pedir a apreciação, o "mais brevemente possível", da PEC da DRU e da revisão da meta fiscal, que consta da Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) do próximo ano.

"O ministro está preocupado com a aprovação da LDO e dos créditos. Mas estamos fazendo esforço grande para concluirmos a apreciação dos destaques (dos vetos presidenciais) e, em seguida, votar a LDO. É preciso votar hoje porque, na verdade, esse é o último dia para que possamos votar essas matérias no Congresso. Amanhã vamos ter sessão do Senado, na quinta começará o julgamento (do impeachment). Então, essas matérias do Congresso precisarão ser apreciadas", disse Renan, após se encontrar com Dyogo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.