Fábio Motta/Estadão
Fábio Motta/Estadão

coluna

Fernanda Camargo: O insustentável custo de investir desconhecendo fatores ambientais

Congresso derruba veto à lei que dá descontos à dívida previdenciária de Estados e municípios

Com a decisão, fica mantido o chamado 'encontro de contas', ou seja, um balanço de débitos e créditos entre as prefeituras e a União

Julia Lindner, O Estado de S.Paulo

22 de novembro de 2017 | 22h45

BRASÍLIA – Deputados e senadores derrubaram veto presidencial à lei que parcela e concede descontos às dívidas previdenciárias de Estados e municípios, em sessão do Congresso Nacional, na noite desta quarta-feira, 22.

++Medidas que envolvem os servidores públicos são difíceis de aprovar, diz Rodrigo Maia

Com a decisão, fica mantido o chamado "encontro de contas", ou seja, um balanço de débitos e créditos entre as prefeituras e a União. Os parlamentares atenderam a uma reivindicação de prefeitos que vieram a Brasília esta semana.

++Banco Mundial propõe agenda liberal para o Brasil e sugere cortes de 8% do PIB

++ZEINA LATIF Quero entrar na Justiça contra os servidores

"O Poder Executivo Federal fará a Revisão da Dívida Previdenciária dos Municípios implementando o efetivo encontro de contas entre débitos e créditos previdenciários dos Municípios e do Regime Geral de Previdência Social decorrentes", diz a emenda mantida pelos parlamentares.

O dispositivo foi elaborado pela Confederação Nacional de Municípios (CNM) "diante da necessidade de se fazer um encontro de contas como forma de garantir recebimento de créditos previdenciários dos municípios com o Instituto Nacional do Seguro Social - INSS". Ao vetar este ponto da matéria, o governo alegou que ele fere "o princípio da igualdade tributária".

Nesta terça-feira, 21, o presidente do Congresso e do Senado, Eunício Oliveira (PMDB-CE), recebeu a visita de prefeitos do Ceará e do presidente da CNM, Paulo Roberto Ziulkoski. Na ocasião, Ziulkoski disse que o Senado se posicionou "a favor" da confederação e que o veto seria "fundamental para aprimorar o Pacto Federativo do País".

Na noite desta quarta-feira, o Congresso também aprovou projeto que abre crédito de R$ 6,3 bilhões para a Presidência da República e nove ministérios. As pastas contempladas são: Saúde, Agricultura, Justiça, Transportes, Esporte, Defesa, Integração, Turismo e Desenvolvimento Social.

Os recursos já estavam previstos no orçamento e serão remanejados, ou seja, retirados de determinadas áreas para abastecer outras. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.