Congresso dos EUA amplia prazo para a entrega de documentos relativos à Libor

Segundo o ‘WSJ’, novo prazo para a entrega dos documentos não foi informado e o Fed de Nova York não quis comentar o assunto  

Patrícia Braga, da Agência Estado,

29 de agosto de 2012 | 16h29

WASHINGTON - Os membros do Congresso dos EUA deram ao Federal Reserve de Nova York mais tempo para entregar os documentos sobre o quanto as autoridades sabiam sobre a manipulação da taxa interbancária de Londres, a Libor, informaram hoje assistentes do Congresso. O novo prazo para a entrega dos documentos não foi informado e o Fed de Nova York não quis comentar o assunto.

Os congressistas também concordaram em reduzir seus pedidos, pelo menos por enquanto, de e-mails internos entre os funcionários do Fed de Nova York com outros bancos e com reguladores que estejam relacionados com a taxa Libor.

No mês passado, o diretor do painel no Comitê de Serviços Financeiros pediu toda a comunicação e documentos existentes de funcionários do Fed de Nova York para outros bancos, agências do governo dos EUA e de governos estrangeiros sobre a Libor desde agosto de 2007.

O deputado republicano pelo Texas, Randy Neugebauer, havia concedido ao Fed de Nova York até o dia primeiro de setembro para responder, mas esse prazo foi ampliado, segundo informou representantes de Neugebauer e do deputado republicano Spencer Bachus, do Alabama. O prazo foi ampliado porque vários documentos procurados.

A Libor, calculada todos os dias com base nos dados fornecidos por bancos para a Associação de Bancos Britânicos é usada para financiamentos estudantis, de imóveis e automóveis, dívidas corporativas e praticamente todos os tipos de derivativos (como swaps cambiais e de juros), totalizando mais de US$ 350 trilhões em contratos em todo o mundo. A taxa é a usada nos empréstimos interbancários.

O secretário do Tesouro, Timothy Geithner, que dirigia o Fed de Nova York na época, está sendo pressionado para explicar às autoridades sua responsabilidade na manipulação da Libor. Geithner disse aos Congresso no mês passado que as autoridades ficaram sabendo dos problemas com a Libor em 2007 e pediram mudanças na forma como ela era calculada em 2008. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
LiborFedprazo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.