Congresso dos EUA discute pacote de estímulo à economia

A Câmara dos Representantes dos Estados Unidos vai discutir hoje sobre o pacote de estímulo econômico de US$ 150 bilhões da administração Bush. O plano deve ser aprovado rapidamente na Câmara, mas deve enfrentar um futuro incerto no Senado, onde os congressistas Republicanos e Democratas querem acrescentar bilhões em benefícios para aposentados e desempregados.A Câmara programou para a tarde de hoje a votação para acelerar o envio de cheques de restituição de US$ 600 a US$ 1.200 para a maior parte dos trabalhadores norte-americanos e aprovar medidas de alívio fiscal para as empresas.No entanto, um painel do Senado deve votar amanhã uma versão de US$ 156 bilhões do plano, que dá de US$ 500 a US$ 1.000 de restituição para um grupo mais amplo, incluindo aposentados e contribuintes mais ricos, e amplia os benefícios de desemprego. Líderes do Senado esperam aprovar as medidas até o fim da semana, afirmou Jim Manley, porta-voz do líder da maioria do Senado, o democrata Harry Reid.A ação coloca o Senado em rota de colisão com o presidente George W. Bush, que alertou contra o acréscimo de medidas ao pacote que foi cuidadosamente negociado entre os dois partidos. A Casa Branca e líderes congressistas concordam que é crucial aprovar o pacote o mais rápido possível, para evitar que a economia caia em recessão e estimular a confiança do consumidor. "O Senado está ameaçando criar um conflito partidário ao tentar acrescentar programas adicionais", afirmou Tony Fratto, porta-voz da Casa Branca. As informações são da Dow Jones.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.