Congresso e Casa Branca chegam a acordo para montadoras

Negociações prevêem pacote de socorro de US$ 15 bilhões; setor pedia apoio de US$ 34 bi ao governo

Agências Internacionais e Ariel Palacios, de O Estado de S. Paulo,

06 de dezembro de 2008 | 14h07

A Casa Branca e o Partido Democrata avançaram nas negociações para aprovação de um pacote de socorro de US$ 15 bilhões às montadoras, em meio ao temor de uma onda de demissões ainda mais dramática após a divulgação das 533 mil demissões em novembro. O setor pedia ajuda de US$ 34 bilhões.  A porta voz do Congresso, deputada democrata Nancy Pelosi, declarou que o Congresso vai elaborar nesta semana uma legislação para permitir a ajuda "limitada e de curto prazo" para a indústria automobilística. O acordo foi costurado na manhã deste sábado, 6, depois de os democratas terem concordado, no fim da noite de sexta-feira, com parte da proposta da Casa Branca. Os democratas defendiam que o Executivo redirecionasse parte do pacote de US$ 700 bilhões, destinado a salvar instituições financeiras, para as montadoras GM, Ford e Chrysler. Já a administração Bush preferia aproveitar os recursos de um pacote de US$ 25 bilhões já aprovado, mas que está carimbado para investimentos das montadoras em tecnologias mais eficientes para o uso de combustíveis. Em comunicado divulgado no sábado, Nancy Pelosi declarou que o Congresso "insistirá que a nova legislação inclua instrumentos para o acompanhamento rigoroso do uso dos recursos para garantir a proteção dos contribuintes". Os recursos, diz o comunicado, devem ser direcionados para medidas que garantam a viabilidade de longo prazo e a competitividade do setor.  O impasse nas negociações entre a administração republicana de Bush e congressistas democratas foi superado quando a deputada Pelosi concordou em permitir o uso de recursos do programa de investimentos em automóveis mais eficientes. Os fundos estarão disponíveis para as montadoras até março. O prazo permitirá que a administração Obama e o novo Congresso tenham tempo de reavaliar o plano. Argentina Na Argentina, o governo detalhou o plano de estímulo para as montadoras, que envolve US$ 911 milhões. A intenção é estimular a venda de 100 mil carros em 2009. As montadoras escolherão dois modelos, os mais baratos de cada marca, para serem vendidos com benefícios.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.