Conselho da Anheuser pode ser removido, acredita InBev

A cervejaria belgo-brasileira InBev comunicou que está buscando um parecer jurídico na corte de Delaware, nos Estados Unidos, relativo a caminhos alternativos para dar andamento à compra da Anheuser-Busch, a fim de garantir que os acionistas da cervejaria americana "preservem sua voz no processo". Segundo a companhia belga, o pedido do parecer à Corte de Justiça de Delaware tem por objetivo confirmar que os acionistas atuando por procuração podem, sob as leis de Delaware, remover sem ação judicial todos os 13 conselheiros da Anheuser-Busch, incluindo os cinco eleitos em 2006.Num comunicado divulgado em seu site, a InBev afirmou que, pela carta-patente da Anheuser-Busch e a lei de Delaware, "está claro que os oito membros eleitos depois de 2006 estão sujeitos à remoção sem processo por meio de procuração escrita". O pedido à Corte, disse a InBev, procura confirmar que, "como a InBev fortemente acredita, os eleitos em 2006 agora também estão sujeitos à remoção pelo mesmo mecanismo".A InBev declarou que continua comprometida com a oferta de compra da Anheuser-Busch, fabricante da cerveja Budweiser, de US$ 65 por ação, e voltou a lembrar que esse valor representa um prêmio de 35% sobre o preço das ações antes do anúncio da oferta. A empresa também manifestou sua "forte preferência" por um "diálogo construtivo" com a Anheuser-Busch para chegar a uma combinação amigável que "atenda abrangentemente os interesses de todas as partes".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.