Conselho de Desenvolvimento Econômico discute indústria

O ministro do Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social, Jaques Wagner, deu início nesta manhã à reunião do órgão, que tem como tema principal a discussão sobre a política industrial desenvolvida pelo governo. O ministro da Secretaria de Comunicação do Governo, Luiz Gushiken fez uma apresentação sobre o planejamento estratégico que o governo está desenvolvendo, denominado "Brasil em Três Tempos". Na sequência, o ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, Luiz Fernando Furlan, apresenta aos conselheiros as linhas gerais da política industrial que está sendo elaborada. Luiz Gushiken disse que o órgão deverá elaborar um planejamento estratégico para o País, com ações para 2007, 2015 e 2022. O primeiro dos três tempos, segundo Gushiken, foi definido em função da vigência do novo governo. O segundo tempo foi fixado em função da Conferência Internacional da ONU, que será realizada em 2015, para o cumprimento de metas estabelecidas com diversos países. Já o prazo de 2022 deve-se ao fato de ser comemorado naquele ano 200 anos da Independência do Brasil e da formação do Estado brasileiro. O ministro disse que essa tarefa terá de ser realizada em conjunto com a sociedade civil, ?porque em uma sociedade complexa como a brasileira não se pode mais fazer como no passado, quando o Estado se encarregava sozinho do planejamento estratégico?. Ele informou que o trabalho será coordenado pelo ministro-chefe da Casa Civil, José Dirceu, e pelo coordenador da CDES, Jaques Wagner. Já a execução será feita pelo Núcleo de Assuntos Estratégicos, coordenado pelo próprio Gushiken, com técnicos de órgãos como Ipea, BNDES, universidades e com metodologia da empresa de consultoria Post Consult. Segundo Gushiken, o conselho deverá aproveitar experiências do governo anterior, como o Projeto Brasil 2020, elaborado pela extinta Secretaria de Assuntos Estratégicos, e do Avança Brasil. "Já temos um acúmulo de experiências que teremos de resgatar", afirmou.

Agencia Estado,

11 Março 2004 | 10h35

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.