Conselho de Lula teme aumento da carga tributária com Cofins

Os empresários que integram o Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social (CDES) temem que o fim da cumulatividade da Confins e consequente aumento da alíquota em 153% aumente a carga tributária. Em reunião hoje, o presidente da Associação Brasileira das Indústrias Têxteis (Abit) e membro do CDES, Paulo Skaf, pediu ao ministro Tarso Genro, que coordena o Conselho, para que o grupo de trabalho da área econômica do CDES se envolva nessa discussão. "O Conselho apoiou o governo no encaminhamento da reforma tributária com a garantia de que não haveria aumento de carga. Hoje, sabemos que isto pode acontecer", disse.Segundo ele, um exemplo a ser lembrado é o PIS que quando majorado de 0,65% para 1,65%, no governo passado, resultou em aumento de 46% na arrecadação do tributo. "Se houve aumento na arrecadação, houve aumento de carga.", afirmou. "Temos que evitar que isto aconteça e discutir a melhor possibilidade para a questão da Cofins, quer seja pelas alíquotas, quer seja pelos critérios de dedutibilidade". Segundo o empresário, a proposta foi bem aceita pelo ministro Tarso Genro.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.