Conselho discutirá reformas paralelamente, diz Felício

O presidente da Central Única dos Trabalhadores (CUT), João Felício, disse que as discussões das reformas da Previdência e tributária serão realizadas paralelamente no Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social, instalado hoje no Palácio do Planalto. A proposta da discussão paralela das duas reformas foi apresentada pelo secretário do conselho, Tarso Genro, após um debate entre empresários e sindicalistas.A primeira proposta apresentada na reunião de hoje era iniciar o trabalho pelas mudanças na Previdência. Os sindicalistas, porém, foram favoráveis ao começo pela reforma tributária. "Precisamos discutir não apenas como os trabalhadores vão colaborar com a solução do déficit do governo, mas também como os empresários farão sua parte", argumentou Felício.O sindicalista, assim como o empresário Pedro Luís Teruel, que representa a Cives, entidade social dos empresários, informaram que tanto o ministro da Fazenda, Antônio Palocci, como o da Previdência, Ricardo Berzoini, discorreram apenas sobre os princípios básicos de cada proposta de mudança constitucional. Nenhum dos dois, afirmam os conselheiros, apresentou qualquer novidade em relação ao que se tem discutido sobre os temas."O que Palocci disse é o que sempre defendemos em linhas gerais na reforma tributária", disse João Felício. "Os princípios gerais apresentados dizem respeito a tributos justos, simplificados, fim da guerra fiscal, retirada do efeito cascata e o princípio da cobrança do ICMS no destino", explicou Teruel. "A desoneração da produção sempre foi defendida pela CUT", acrescentou Felício.Veja o índice de notícias sobre o Governo Lula - Os primeiros 100 dias

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.