finanças

E-Investidor: "Você não pode ser refém do seu salário, emprego ou empresa", diz Carol Paiffer

Conselho do Banco do Brasil define compra do Banco do Piauí

As outras instituições que o BB quer comprar são a Nossa Caixa, o Banco de Brasília e o Banco Votorantin

ADRIANA FERNANDES E BEATRIZ ABREU, Agencia Estado

10 de novembro de 2008 | 21h23

O Conselho de Administração do Banco do Brasil (BB) discutiu hoje a compra de instituições financeiras e definiu o modelo de incorporação para assumir o controle do Banco do Piauí. As outras instituições que o BB quer comprar são a Nossa Caixa, o Banco de Brasília e o Banco Votorantin. Dos três, apenas as negociações com o Votarantin não são confirmadas oficialmente pelo BB. Mas na reunião de hoje, os integrantes do conselho discutiram a estratégia e a política de negócios que o banco adotará em cada um dos casos. Veja também:De olho nos sintomas da crise econômica  Lições de 29Como o mundo reage à crise  Entenda a disparada do dólar e seus efeitosEspecialistas dão dicas de como agir no meio da crise Dicionário da crise No caso da compra do Banco do Piauí, com negociações avançadas, a solução saiu hoje mesmo. Enquanto o Conselho do BB avaliava as opções de compra, uma reunião extraordinária do Conselho de Administração do Banco do Piauí aprovou a incorporação da instituição ao BB. O comunicado foi divulgado hoje pela Comissão de Valores Mobiliários (CVM). Em relação aos outros casos, a conclusão das negociações pode ocorrer nos próximos dias. No entanto, o BB não divulgou informações sobre a reunião do Conselho de Administração para não infringir as regras da CVM, que exige um comunicado ao mercado - fato relevante - sobre a compra de instituições financeiras. Os conselheiros analisaram também o balanço do banco no terceiro trimestre. O resultado "é bom" porque contabilizou apenas 15 dias de crise. Afinal, foi a partir de 15 de setembro que a crise atingiu seu momento mais agudo.

Tudo o que sabemos sobre:
Nossa CaixaBBLula

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.