Conselho do FGTS forma comitê para criar fundo do PAC

Fundo será formado com R$ 5 bi do FGTS e financiará projetos da iniciativa privada nas áreas de infra-estrutura

Isabel Sobral, da Agência Estado,

11 de dezembro de 2007 | 18h46

O Conselho Curador do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) aprovou nesta terça-feira, 11, a constituição do Comitê de Investimentos do fundo de investimentos com recursos do FGTS (FI-FGTS). O comitê, que será formado por 12 membros, sendo seis representantes de empresários e trabalhadores e outros seis do governo, será o responsável pela definição da política de investimentos do FI-FGTS. O regulamento para os investimentos será definido na próxima reunião extraordinária do Conselho Curador, marcada para o próximo dia 20.O FI-FGTS foi criado por medida provisória em janeiro deste ano no âmbito das ações do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC). O novo fundo será formado inicialmente com R$ 5 bilhões do FGTS e vai financiar projetos da iniciativa privada nas áreas de infra-estrutura (energia elétrica, rodovias, portos etc). Com o regulamento aprovado, o secretário-executivo do conselho curador do FGTS, Paulo Furtado, acredita que tudo estará pronto para o novo fundo começar a operar a partir de janeiro de 2008.Ficou para a próxima reunião extraordinária do Conselho Curador, a ser realizada no Rio de Janeiro, no dia 20, a definição sobre uma proposta apresentada e discutida hoje pelo Ministério das Cidades de elevação do orçamento do FGTS para investimentos em habitação popular para 2008. Segundo o ministro das Cidades, Márcio Fortes, há uma demanda de vários bancos pela utilização dos recursos do FGTS em financiamentos habitacionais para famílias com renda superior a R$ 1,8 mil por mês. "Ainda temos que fazer alguns ajustes na proposta para que não haja descasamento de recursos no orçamento já aprovado do ano que vem", comentou ele.

Tudo o que sabemos sobre:
FGTSPAC

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.