Marcos Corrêa/PR
Marcos Corrêa/PR

Coluna

Thiago de Aragão: China traça 6 estratégias para pós-covid que afetam EUA e Brasil

Conselho estabelece que diretores de fundos de pensão serão escolhidos por processo seletivo

Hoje, a escolha da diretoria é feita conforme o estatuto de cada instituição, por eleição ou indicação

Lorenna Rodrigues, O Estado de S.Paulo

27 de dezembro de 2019 | 19h35

Diretores de fundos de pensão serão escolhidos por processo seletivo e terão que apresentar qualificação técnica. A decisão foi tomada pelo Conselho Nacional de Previdência Complementar (CNPC) em reunião na semana passada.

O conselho é presidido pelo ministro da Economia, Paulo Guedes. Hoje, a escolha da diretoria é feita conforme o estatuto de cada instituição, geralmente por eleição ou indicação.

“A escolha da diretoria continuará conforme definido em estatuto, reforçando apenas a importância de se ter um processo que assegure a qualificação técnica de todos os membros da diretoria, independentemente de serem indicados pelos participantes ou patrocinadores”, afirmou o Ministério da Economia, em nota.

A resolução do CNPC estabelece eleição para o conselho deliberativo, que também deverá ter composição paritária entre representantes dos participantes e assistidos e dos patrocinadores. Caberá aos representantes dos patrocinadores a indicação do presidente do conselho deliberativo.

Além de Guedes, o CNPC é formado por representantes da Superintendência Nacional de Previdência Complementar, Casa Civil, secretarias do Ministério da Economia e dos patrocinadores e assistidos de fundos de pensão.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.