Conselho quer consulta pública do PGO mais longa

O conselho consultivo da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), órgão de assessoramento do conselho diretor, quer que o período em que a proposta de mudança no Plano Geral de Outorgas (PGO) ficará em consulta pública seja mais longo do que os 30 dias previstos, após a audiência pública de amanhã. Segundo o conselheiro José Zunga, que integra o conselho consultivo como representante da sociedade, um pedido de ampliação da consulta para 60 dias já foi encaminhado ao conselho diretor. "Se a Anatel levou mais de três meses para elaborar a proposta, por que a sociedade terá apenas 30 dias?", questionou.Zunga informou que foi marcada para a próxima quarta-feira uma reunião extraordinária do conselho consultivo para discutir a proposta de alteração no PGO. Participará do encontro o conselheiro relator do PGO, Pedro Jaime Ziller. Ele foi convidado a detalhar a proposta, principalmente o artigo que exigirá das concessionárias de telefonia fixa a criação de uma empresa específica para administrar os serviços de banda larga."Para mim, este ponto não está claro. Não consegui enxergar vantagem para o usuário", afirmou Zunga. Segundo ele, o assinante busca convergência e quer ter uma conta única para todos os serviços. Pela proposta da Anatel, terá que haver uma empresa para cada serviço. "Quero saber o que ele (Ziller) busca com isso", disse Zunga.A Anatel recebeu outro pedido de ampliação do tempo da consulta pública, feito pela Associação Brasileira das Prestadoras de Serviços de Telecomunicações Competitivas (Telcomp).

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.