Consórcio Invepar OAS vence leilão pela Raposo Tavares

Companhias ofereceram pedágio de R$ 0,090525 por quilômetro, deságio de 16,11% sobre o teto estipulado

Beth Moreira e Wellington Bahnemann, da Agência Estado,

29 Outubro 2008 | 10h51

O consórcio formado pela Invepar e pela construtora OAS venceu a disputa pela rodovia Raposo Tavares, com uma proposta de pedágio para pista dupla de R$ 0,090525 por quilômetro, o que representa um deságio de 16,11% sobre o teto estipulado pelo governo do Estado, de R$ 0,107910.   A outra proposta, da Triunfo Participações, foi de R$ 0,102515 por quilômetro. O vencedor será responsável pelos 444 km da rodovia Raposo Tavares, mais 389,8 km de vicinais e precisará pagar outorga de R$ 634 milhões no prazo de 18 meses, sendo 20% na assinatura do contrato. A rodovia exigirá também investimentos de R$ 1,803 bilhão durante os 30 anos da concessão.   No segundo lote, o consórcio BR Vias venceu a disputa pelo trecho oeste da Rodovia Marechal Rondon com uma proposta de R$ 0,064099 por km, um deságio de 40,59% sobre o teto estipulado pelo governo do Estado, de R$ 0,107910 por km em pista dupla.   O grupo será responsável pela administração dos 417 km da Rodovia, além de 243,8 km de vicinais. A empresa terá de pagar uma outorga de R$ 411 milhões no prazo de 18 meses, sendo 20% no ato da assinatura do contrato. A BR Vias também será responsável por investir R$ 1,312 bilhão durante os 30 anos da concessão.   Para o trecho oeste da Marechal Rondon concorreram sete grupos. Além da BR Vias, apresentaram propostas o consórcio Invepar e construtora OAS, consórcio Cibe, Ascendi e Leão Leão, consórcio AutoRondon, Triunfo Participações (TPI), Odebrecht e Cegems. A segunda melhor proposta foi da Triunfo (R$ 0,064746), seguida por Invepar (R$ 0,075418), Cibe (R$ 0,077479), AutoRondon (R$ 0,083846), Cegems (R$ 0,088486) e Odebrecht (R$ 0,097108). O deságio da proposta da BR Vias em relação à tarifa atual das estradas de São Paulo é de 46,73%.   Na terceira rodada, a Triunfo Participações (TPI) venceu a disputa pelo sistema Ayrton Senna/Carvalho Pinto com uma proposta de R$ 0,048560 por km, um deságio de 54,99% sobre o teto estipulado pelo governo do Estado, de R$ 0,107910 por km em pista dupla. A companhia será responsável pela administração dos 142 km das rodovias, sem vicinais.   A empresa terá de pagar uma outorga de R$ 594 milhões no prazo de 18 meses, sendo 20% no ato da assinatura do contrato. A Triunfo também será responsável por investir R$ 903 milhões durante os 30 anos da concessão.   Para o sistema Ayrton Senna/Carvalho Pinto concorreram seis grupos. A segunda melhor proposta foi da Ecorodovias (R$ 0,058899), seguida por BR Vias (R$ 0,077393), Invepar (R$ 0,079734), CCR (R$ 0,095824) e Cibe (R$ 0,096040). O deságio da proposta da Triunfo em relação à tarifa atual das estradas de São Paulo é de 59,65%.

Mais conteúdo sobre:
RodoviasLeilão

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.