Construção civil revisa para baixo expectativa de crescimento

O Sindicato da Indústria da Construção Civil (SindusCon-SP) anunciou hoje a revisão, para baixo, da expectativa de crescimento do produto interno do setor ao longo de 2005, em decorrência dos dados relativos ao Produto Interno Bruto (PIB) divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) nesta manhã. Essa é a segunda vez que a entidade revisa suas projeções, que, no início do ano, eram de crescimento de 4,6%. Há duas semanas, a expectativa recuou para 4% e, a partir de agora, a projeção é de crescimento de 3,8% no ano. Segundo o presidente do SindusCon-SP, João Cláudio Robusti, a segunda revisão do ano foi motivada pelo fraco desempenho do setor no primeiro trimestre. De acordo com o IBGE, o produto interno do setor cresceu apenas 0,6% nos primeiros três meses do ano. Há duas semanas, o setor já havia refeito seus cálculos, uma vez que os dados do Ipea indicavam um crescimento menor do PIB nacional. Exceção no setor imobiliário Em nota, o presidente do sindicato informa que, à exceção do setor imobiliário, "os demais segmentos da construção estão com uma atividade muito baixa, em razão da forte retração dos investimentos dos governos da União, dos Estados e dos Municípios, quase todos preocupados exclusivamente em obter um alto superávit nas contas públicas". E acrescenta que a manutenção das taxas de juros em níveis elevados "retardará o crescimento da construção". No ano passado, o produto interno da construção civil cresceu 5,7% e a estimativa inicial para 2005, de crescimento de 4,6%, já levava em conta a expectativa de PIB nacional menor. Entre 2001 e 2003, a indústria acumulou perdas de 10%.

Agencia Estado,

31 Maio 2005 | 16h33

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.