Ações

Empresas de Eike disparam na bolsa após fim de recuperação judicial da OSX

Construção de moradias nos EUA tem recorde de baixa

Junto com os dados sobre queda nas vendas do varejo no país, queda ameniza esperanças de fim da recessão

Lucia Mutikani, da Reuters,

19 de maio de 2009 | 14h08

As construções e os alvarás de moradias nos Estados Unidos atingiram recordes de baixa em abril e as vendas no varejo do país caíram na última semana, segundo dados divulgados nesta terça-feira, 19, que amenizaram as esperanças de que a recessão estaria chegando ao fim.

 

Veja também:

especialEntenda a trajetória de valorização do real

especialAs medidas do Brasil contra a crise

especialAs medidas do emprego

especialDe olho nos sintomas da crise econômica 

especialDicionário da crise 

especialLições de 29

especialComo o mundo reage à crise

 

 

A construção de moradias caiu 12,8% em abril, para uma taxa anualizada de 458 mil unidades, o menor patamar da série histórica iniciada em janeiro de 1959, informou o Departamento de Comércio.

 

"Há alguma estabilidade. Quando você olha para os números de construção, eles serão vulneráveis, algo como dois passos à frente e um passo atrás", disse Nick Kalivas, vice-presidente de pesquisa financeira do MF Global em Chicago. "As construções de moradias estão em um patamar no qual estão atingindo o piso."

 

As ações da Home Depot, maior cadeia do mundo de reforma e construção, caíam 4,53% após a empresa anunciar uma queda de quase 10% em suas vendas trimestrais. Outras quedas no setor eram da Pulte Homes e da Centex.

 

Analistas disseram que apesar do declínio da construção sugerir que a recessão ainda está vigente, ele ajudou a diminuir os estoques de moradias existentes não vendidas e abre caminho para que o setor se recupere de um declínio que já dura três anos.

 

"Isso é uma boa coisa. Significa que a oferta pode eventualmente voltar a ficar em linha com a demanda. Os construtores de moradias adotaram uma postura apropriada de aversão a risco", afirmou Joseph Brusuelas, economista da Moody's Economy.com. Em relação a abril de 2008, a construção de moradias despencou 54,2%.

 

Os alvarás, que indicam a atividade futura no setor, recuaram 3,3% em abril sobre março, para 494 mil unidades, o menor nível da série histórica iniciada em janeiro de 1960. Sobre abril do ano passado, a queda foi de 50,2%.

 

Apesar dos dados jogarem água fria no otimismo de que a recessão estaria perto do fim, analistas disseram que há uma luz no fim de túnel e argumentaram que a confiança no setor está melhorando.

 

Uma pesquisa de segunda-feira da Associação Nacional dos Construtores de Moradias mostrou que a confiança no setor atingiu o maior patamar em oito meses em maio.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.