Construção quer mais facilidade no uso do FGTS

O aumento da oferta de crédito imobiliário vem acelerando o crescimento dos saques do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) para a aquisição de imóveis. De janeiro a agosto de 2007, os bancos emprestaram um volume de crédito com recursos da caderneta de poupança de R$ 10,3 bilhões, 73,6% mais que no mesmo período de 2006. No FGTS, este ano, a média mensal de saque para compra de imóvel está em R$ 402,43 milhões, 11,6% acima da média de 2006, que crescera 7,5% ante 2005. De acordo com a Caixa Econômica Federal, 50,2% das operações de crédito imobiliário utilizam o FGTS.O mercado imobiliário, no entanto, considera que esse uso poderia ser bem maior se fossem abrandadas as regras restritivas ao saque, tanto para o comprador quanto em relação ao imóvel. No entanto, vêm sendo tomadas medidas para favorecer essa utilização.Uma delas entra em vigor em janeiro de 2008 e prevê que, nos empréstimos com recursos do fundo, os trabalhadores com conta vinculada do FGTS terão desconto de 0,5 ponto porcentual na taxa de juro anual. A medida, no entanto, beneficia apenas compradores de unidades que custam até R$ 130 mil. Porém, já existe um movimento de bancos e empresas do setor imobiliário para pedir ao Conselho Monetário Nacional (CMN) a ampliação do valor máximo do imóvel em que é permitido o uso do FGTS. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

AE, Agencia Estado

08 de outubro de 2007 | 10h00

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.