Renda extra

Fabrizio Gueratto: 8 maneiras de ganhar até R$ 4 mil por mês

Construções de moradias iniciadas nos EUA caem 1,1% em fevereiro

Permissões para novas construções, no entanto, atingiram os níveis mais altos desde 2008

Danielle Chaves, da Agência Estado,

20 de março de 2012 | 09h49

As construções de moradias iniciadas nos EUA em fevereiro caíram 1,1% em comparação com janeiro, para a taxa anual sazonalmente ajustada de 698 mil, informou o Departamento do Comércio. O resultado contrariou a previsão inicial dos economistas de alta de 1,6% e também a previsão mais recente de alta de 1,3%, para a taxa de 708 mil.

No entanto, as permissões para novas construções atingiram os níveis mais altos desde 2008, o que evidencia a natureza instável da recuperação do setor imobiliário norte-americano. O aumento foi de 5,1% em fevereiro sobre janeiro, para a taxa anual de 717 mil, acima da previsão inicial de alta de 2,6% e da previsão recente de alta de 2,2%

Outro sinal positivo dentro dos dados foi a revisão nos números de janeiro, que mostraram crescimento de 3,7% nas obras iniciadas, para 706 mil, acima do avanço de 1,5% calculado inicialmente e o nível mais alto desde outubro de 2008.

As construções de casas para uma família, que correspondem a mais de 70% das obras iniciadas, caíram 9,9% em fevereiro, a maior queda em um ano. Enquanto isso, as construções de casas para mais de uma família, uma parte volátil do mercado, tiveram aumento de 21,1%.

Na região nordeste dos EUA as obras iniciadas diminuíram 12,3% e no Oeste caíram 5,9%, enquanto no Meio Oeste houve alta de 3,0% e no Sul houve avanço de 1,5%.

As construções de moradias reais, calculadas sem ajustes sazonais, cresceram para 48,1 mil em fevereiro, de 46,5 mil em janeiro. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
imóvelconstrução

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.