Ilustração/Even
Ilustração/Even

Construtora volta a investir em produto de alto padrão

Even crê em ciclo de crescimento, com queda dos juros, inflação baixa e aumento da confiança do cliente para tomar decisão de compra

Heraldo Vaz ESPECIAL PARA O ESTADO, O Estado de S.Paulo

12 Junho 2018 | 05h00

Depois de reduzir os novos empreendimentos, fazendo lançamentos pontuais direcionados principalmente ao segmento emergente, com preços aderentes à nova realidade do mercado, a Even Construtora e Incorporadora volta a investir em produtos de alto padrão.

“Vamos lançar o Altto Vila Madalena, pensando em up grade”, diz o vice-presidente João Azevedo, referindo-se ao edifício de 38 andares, com apartamentos de quatro suítes e área de 275 a 437 m². O lazer inclui quadra de tênis, piscinas de adulto e infantil e raia coberta.

A Even acredita no início de um novo ciclo no mercado imobiliário, com base nos fundamentos da política econômica. A queda da taxa de juros, segundo Azevedo, ajuda os clientes de alto padrão voltarem às compras. “Há expectativa de fim da crise” afirma, ao enfatizar que as condições macroeconômicas e a inflação baixa são um alento. “Promove aumento da confiança do cliente para tomar a decisão de compra.”

Crescimento. Na comparação com 2016, o volume de lançamentos da Even em São Paulo apresentou crescimento nos quesitos apurados pela Empresa Brasileira de Estudos de Patrimônio (Embraesp). Em área de construção, o aumento chegou a 70%, passando para 193 mil em 2017. Foram lançados seis novos empreendimentos, com 12 blocos e um total de 1.331 apartamentos – contra 4 projetos, 6 torres e 1.040 unidades no ano anterior.  No período, o valor global lançado (VGL) subiu 58%, atingindo R$ 937 milhões.

Em 2017, foram quatro lançamentos do padrão médio-alto. Dois exemplos são o Benedito Pinheiros, com 232 imóveis, e a segunda fase do Quintas da Lapa, com 94 apartamentos, com preço médio de R$ 800 mil e R$ 1 milhão, respectivamente.

De padrão médio, o Monumento São Paulo é um projeto de seis torres no Morumbi, com plantas de dois a quatro dormitórios. O preço médio é de R$ 600 mil. “Lançamos a primeira fase com três torres e 453 apartamentos”, diz. “Metade já vendido.”

Entre as opções de lazer, há cinco piscinas, duas quadras esportivas e três playgrounds. Para a próxima etapa, há mais 454 unidades e um centro comercial com 12 lojas. “São 60 mil m² para seis torres, com a média de 10 mil m² para cada uma, além de um bosque e um shopping em frente.”

Mais acessível, o Rios Miguel Yunes, de perfil emergente, tem 443 unidades com dois e três dormitórios, de 44 a 58m², e lazer completo. Os apartamentos custam R$ 360 mil. Além de São Paulo, a atuação da Even se estende para o Rio Grande do Sul, onde “é líder isolada”, diz Azevedo. Lá, foram lançados em 2017 cinco empreendimentos. Somados aos seis da capital paulista e um no Rio, o total chegou a 12 projetos no ano passado.

A Even prevê crescer o volume de lançamentos este ano, mas só se mantiver boa performance de vendas tanto de remanescentes (principalmente os prontos), quanto dos produtos recém-lançados. As vendas contratadas cresceram 17%, para R$ 1,35 bilhão em 2017. Foram comercializadas 2,6 mil unidades com preço médio de R$ 524 mil cada uma.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.